Poxa, já vai nos deixar? 😥

Me conta, você encontrou o que deseja?
Se não econtrou, conta pra gente o que procura 😃

Saiba quais são os tipos de impressão 3D e entenda seus benefícios!
01/02/2021

Ideia Gráfica e Brindes | Dicas

Saiba quais são os tipos de impressão 3D e entenda seus benefícios!

A impressão 3D tem evoluído proporcionalmente ao desenvolvimento da tecnologia, uma vez que há várias maneiras de imprimir através da manufatura aditiva


Estas diferentes formas e tipos de impressão 3D fazem com que a diversidade de produção, acabamento e a qualidade do produto seja um fator que diversifica ainda mais este avanço.

Quer saber mais sobre os tipos de impressão 3D? Continue lendo este artigo!

Fabricação com Filamento Fundido (FDM ou FFF)

É a técnica mais utilizada, por ter um custo menor, porém não permite uma fabricação com muitos detalhes.

Esta técnica é feita através do aquecimento de filamentos de determinado material plástico, geralmente utiliza-se o modelo PLA ou ABS. Após o aquecimento, o material é depositado em camadas pelo bico extrusor e a movimentação deste bico nos eixos X,Y e Z, é o que dá a forma para o objeto que se deseja obter.

A principal vantagem desta técnica em comparação com as outras, é o preço do material, pois é mais fácil de armazenar e utilizar. Outra vantagem importante é a facilidade de uso, tendo muito mais material para estudo além de uma grande gama de impressoras no mercado, com preços variados, permitindo que desde o pequeno empreendedor até as grandes empresas tenham acesso a esta tecnologia.

Suas desvantagens são a necessidade de suporte, dependendo da geometria da peça, e a menor qualidade no acabamento das impressões quando comparada a outros métodos.

Estereolitografia – SLA e DLP

Desenvolvido por Chuck Hill, é a mais antiga técnica entre os tipos de impressões 3D, sendo usada até os dias de hoje para a fabricação de peças com um detalhamento maior. Este método possui um fator importante: a qualidade das peças produzidas.

Refere-se à utilização de um laser e de um reservatório com resina líquida. Quando a resina é atingida pelo laser no contorno relativo ao formato do objeto, essa parte se “solidifica” e se cola à camada inferior. Em seguida, a plataforma de suporte sobe ou desce, dependendo da impressora, uma fração de milímetro no tanque, permitindo que a resina líquida se deposite no local onde estava a última camada da parte sólida e que o processo com o laser se reinicie até a peça ser concluída, permitindo assim a manufatura aditiva.

O custo de produção de uma peça como essa é um pouco mais elevado por conta da sua complexidade.

Polyjet

Esta técnica é que mais se parece com à impressão de jato de tinta, mas em vez de jatear gotas de tinta sobre o papel, as impressoras jateiam camadas de fotopolímero, formando assim, peças com uma incrível qualidade em seu acabamento final e permitindo a utilização de texturas e cores diferentes. O seu preço é considerado alto para a impressão 3D.

Sinterização Direta de Material a Laser (DLMS) e Sinterização Seletiva a Laser (SLS)

Os dois métodos são parecidos e partem do mesmo princípio de fabricação, o uso de um laser para derreter as partículas do metal e assim formar as camadas do objeto. A diferença fica então no material utilizado que, para a sintetização direta de material a laser é o metal; e para a sintetização seletiva a laser são materiais em pó com nylon e fibra de carbono.

Além do mais, os lasers também são diferentes:

  • - Laser potente chamado de Yb-fbre para a DLMS;
  • - Laser CO2 para a SLS;

Ambas as técnicas possuem preços elevados, que são frequentemente utilizadas na indústria aeroespacial, odontológica e médica.

Gostou deste artigo?! Acompanhe nosso blog e saiba mais sobre diversos assuntos relacionados a comunicação visual!

(18) 99744-8743